Segue Aí

Quer receber os posts do Brandon Oak diretamente no seu e-mail? É Fácil! Digite seu e-mail abaixo e parta pro abraço!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Semana da Decepção Moderna (Terça-Feira)


SEMANA DA DECEPÇÃO MODERNA - UMA TERÇA



Prosseguindo à exposição esta terça-feira, senhores, contando com o talento de mais quatro artistas. Vamos à análise das obras primas.


#5 - Victor Hugo, do Sa-Tirinhas


Victor Hugo, em sua arte, confere à Decepção Atômica um ar de jovialidade, quase um galanteador. De fato, essa pintura remonta uma época dourada na vida de Decepção, ainda possuia uma estrutura ocular completa: retina, iris e pupila e suas expressões ainda definiam significado. Note sua forma física. Fica claro, para mim, que Decepção estava desfilando ou algo parecido. Muito bom.















#6 - Victor, do Tiras 171


Decepção, apenas Decepção em pura substância. Seus olhos fitos lerdamente no infinito, decifrando a razão da existência do nada. Sim, o nada que nada cria, o qual por nada é criado já que de nada vem e para nada vai, e o que se é nada, nada pode ser, por que se nada é, nada foi e nada será. Os traços imponentes de Victor expressam o constante intelectual da mente de Decepção com exatidão, assumindo e concebendo a real identidade da personagem.








#7 - GWalt, do Vírus Pervertido

Esta arte é, sobretudo, bivalente na medida que comporta diversas interpretações. A primeira recai sobre o pequeno menino, admirador de Decepção, provavelmente desprovido de uma figura paterna, sobre a qual pudesse depositar sua confiança e do qual pudesse extrair o modelo a se seguir, precocemente conhecedor das dores e sofrimentos da vida, deposita em Decepção, haja vista sua experiência com os entraves que já lhe escalaram a existência, toda a sua concepção de arché. A segunda acepção da arte se funda na expressão almática e penetrante de Decepção, tão concentrado e incutado em seu próprio umbigo, e ao mesmo tempo, exalando um ar de Zina, tão distraído, aspirando o acaso. A verdade é que Decepção não consegue aceitar ter seu nome associado ao nome de Brandon Oak, já que ele dúvida sobre quem tenha criado quem. A arte de GWalt é expressiva e fala por si mesmo, daí a ausência da boca do Decepção.






#8 - Calvin V., do Invisiblog

Calvin V. é o nome do artista e inova em sua arte arrojada. Demonstra um Decepção sério, pronto para atender ao grito aflito da inocência violentada pelos maus. Um verdadeiro contraste. A seriedade, a face da justiça sob a grama verde e infante. As nuvens esboçadas sob o céu azul não nos deixam enganar - há ainda que se acreditar que o tempo ruim passará, dando lugar ao sol e ao tempo claro da justiça e da urbanidade. Detalhe para o cinto, digno de um herói de verdade. Vá, Decepção, vá, vá salvar o dia. Posso imaginar sua resposta: ahn.. não.





"Decepciona-se menos aquele a quem se nega imediatamente." (Publílio Siro)





Aos artistas Victor Hugo, Victor, GWalt e Calvin V., o meu muito obrigado. Por hoje é só, até amanhã!

3 comentários:

Obrigado por comentar :D

Postagens Recentes Postagens Antigas Inicio
Ocorreu um erro neste gadget